Saltar para conteúdo principal

Apanhar o Tempo: Encontros do barro negro de Castro Daire: Oficina, Conferência, Exposição

Notícias

15 23 set.

As artes e os ofícios do concelho de Castro Daire são ricas, variadas e detentoras de potencial para o desenvolvimento local. O cunho incrementado por artesãos/ãs ao longo dos tempos, assim como a transmissão e reprodução de muitos dos segredos e tradições destas artes e ofícios até à atualidade, permitiram perpetuar o património cultural do povo de Castro Daire, vincando em simultâneo a sua específica identidade local.

  

Os Encontros do Barro Negro de Castro Daire constituem um fórum de reflexão, partilha e prática, relativo a um exemplo específico da produção artesanal de peças utilitárias e figurativas em olaria, com epicentro na aldeia de Ribolhos. As características diferenciadoras deste tipo de artesanato passam pela extração de argila cinzenta existente na região e pelo processo de cozedura ou queima, a soenga, os quais, em conjunto, conferem às peças a sua coloração final. O Município de Castro Daire e as comunidades locais são conscientes da importância da valorização deste ofício ancestral, através de estratégias inovadoras, em colaboração com entidades e iniciativas locais e nacionais.

  

Os Encontros do Barro Negro desenrolam-se sob o tema “Apanhar o Tempo”, ou seja, procura-se que contribuam para um novo ciclo de visibilidade e de criação, que possibilite, num futuro próximo, a existência de mais artesãos e artesãs, uma maior diversidade artística e de design, novos projetos de empreendedorismo que tenham o barro negro como inspiração e o estabelecimento de processos perenes de educação artesanal dirigidos a jovens e adultos.

  

O princípio subjacente aos Encontros é o de articular múltiplas vontades e perspectivas, fomentando sentidos de complementaridade, de colaboração e de interdisciplinaridade que ajudem a prosperar um ecossistema vibrante relativo à produção artesanal desta forma tão interessante de património cultural.

  

De entre os vários coorganizadores dos Encontros do Barro Negro, destacam-se, pela sua abrangência nacional e estratégica, duas iniciativas lançadas pelo Governo Português:

  

- O Programa Nacional Saber Fazer, com coordenação da Direção-Geral das Artes, tem como missão a preservação e o reconhecimento da produção artesanal tradicional em Portugal, promovendo o conhecimento vernacular, o desenvolvimento sustentável e o consumo responsável através das artes tradicionais. Estes encontros são enquadrados na forma de Laboratório de Intervenção Territorial (LIT), uma proposta de dinamização dos lugares das práticas artesanais através do encontro, da cocriação e da interdisciplinaridade e integrar a produção artesanal na promoção comercial do património cultural, bem como viabilizar o acesso aos produtos e serviços artesanais de forma contextualizada, informada e criativa.

  

- O Plano Nacional das Artes (PNA), uma iniciativa conjunta da Direção-Geral das Artes e do Ministério da Educação, tem como uma das suas premissas fundadoras a tomada de consciência para uma construção da identidade pessoal e coletiva, desenvolvida em diálogo com as culturas, as artes e os patrimónios. Nas suas múltiplas manifestações e vertentes, as artes e ofícios tradicionais reclamam a atenção e o cuidado que lhes permitam ser fatores de desenvolvimento e afirmação de cada comunidade em que acontecem, numa perspetiva de valorização, sustentabilidade e coesão territorial.

  

Por último, os Encontros do Barro Negro, buscam contribuir para o fomento da colaboração a nível local entre o município, os artesãos/ãs, as associações e as freguesias, sendo o Município de Castro Daire, a União de Freguesias de Mamouros, Alva e Ribolhos e a Binaural - Associação Cultural de Nodar as entidades coorganizadoras destes Encontros que trabalham em conjunto a temática do barro negro, aliando rigor científico, formas inovadoras de difusão cultural e o estabelecimento de relações empáticas com as comunidades locais, as quais são fundamentais para os processos de revitalização do seu património local.

  

Programa:

15 DE SETEMBRO, SEXTA-FEIRA

Oficinas de figurado de barro negro

10h00 - 18h00 | Com oleiros/as Xana Monteiro, Carlos Lima e Sérgio Amaral

22 DE SETEMBRO, SEXTA-FEIRA

Conferência “Apanhar o Tempo”

Centro Municipal de Cultura de Castro Daire

9h00: Receção dos participantes

09h30 - 10h00 I Sessão de Boas Vindas

Presidente da Câmara Municipal de Castro Daire, Paulo Almeida

Comissário do Plano Nacional das Artes, Paulo Pires do Vale

Diretora Regional da Cultura do Centro, Suzana Menezes

10h00 I Conferência de abertura

A pedra de Exu. A cultura como aventura - Paulo Pires do Vale

10h30 - 11h15 | Painel 1: Ribolhos, terra do barro negro

Moderador: Idália Ribeiro

Os recursos geológicos do território ao serviço do Desenvolvimento Sustentável: o caso das argilas. - Artur Sá (UTAD)

Barros, terra, território e desenvolvimento - Alberto Tapada (CETRAD/UTAD)

Mestre Zé Maria, o mestre das profundezas - Conceição Cordeiro (Instituto Politécnico de Portalegre)

11h30 - 12h15 | Painel 2: “A tradição é uma aventura”

Moderador: Paula Soares

Mestre Zé Maria: A inocência do olhar - Alberto Correia (historiador, etnólogo e autor)

Programa Nacional Saber Fazer Portugal - Ana Botas e Maria João Ferreira (Ambas Direção-Geral das Artes)

A memória é infinita: A experiência do projeto Memória sobre Rodas - Luís Costa e Marta Carvalhal, (respetivamente Binaural Nodar e Município de Castro Daire)

12h15 - 12h30 Perguntas e respostas

12h30-14h30 | Almoço

14h30 - 15h15 | Painel 3: Novo ciclo de criação - partilhar arte, técnica e ideias

Moderador: Luís Costa

A experiência do CEARTE na formação sobre artes e ofícios tradicionais (CEARTE)

Um olhar para o futuro pela retina de um oleiro - Jorge Ferreira (professor e artesão)

Adaptação e resiliência. Possibilidades para um novo paradigma - Nuno Vicente (artista visual)

15h15 - 15h30 I Perguntas e respostas

15h30 - 16h00| Reflexões finais - Alexandra Simões / Ana Botas / Maria João Ferreira

16h00 - 16h30 I Sessão de Encerramento

Vereadora da Câmara Municipal de Castro Daire, Idália Ribeiro

Diretor do Agrupamento de Escolas de Castro Daire, António Luís Ferreira

Presidente da União de Freguesias Mamouros, Alva, Ribolhos, Hélder Ferreira

16h30 - 17h30 I Inauguração da exposição “O barro negro de Castro Daire: forma, função e expressão”

17h30 I Encerramento

23 DE SETEMBRO, SÁBADO

Soenga tradicional e inauguração da Oficina do Barro Negro de Ribolhos

09h30 - 12h30

Antiga Escola Primária de Ribolhos (Castro Daire)

_

Ficha técnica e artística:

Coorganização: Município de Castro Daire, Binaural – Associação Cultural de Nodar, Agrupamento de Escolas de Castro Daire, Programa Nacional Saber Fazer e Plano Nacional das Artes.

Parceiros: União de Freguesias de Mamouros, Alva e Ribolhos.

   

Formulário de inscrição na conferência do dia 22 de setembro: 

Memória Sobre Rodas

Outras notícias

01 30 jun.

Fórum artes e ofícios

O Fórum Artes e Ofícios gera discussão sobre a urgência da aprendizagem pela prática, do seu reconhecimento, mas também sobre a valorização contemporânea das artes e ofícios vernaculares.

Saber mais

31 mai. 30 jun.

Laboratório de Intervenção Territorial Odemira: Da paisagem à sonoridade

O Programa Nacional Saber Fazer Portugal promove um diálogo entre diferentes interlocutores de diversas áreas, tendo como preocupação dar voz aos profissionais que se encontram no centro do conhecimento técnico, produção, distribuição e comercialização dos produtos que desenvolvem nas atividades em destaque.

Saber mais

03 mai.

Direção-Geral das Artes lança livro que reúne artes e ofícios portugueses

A Direção-Geral das Artes, através do Programa Nacional Saber Fazer, apresenta no próximo dia 4 de maio o livro "Programa Nacional Saber Fazer Portugal" no Centro de Artes das Caldas da Rainha

Saber mais

24 28 abr.

Programa Saber Fazer representa Portugal na Rio Artes Manuais

Fátima Lopes e Isabel Martins estarão no Rio Artes, no Rio de Janeiro, a promover artesanato português com séculos de história.

Saber mais

23 26 nov.

Programa Saber Fazer Apresenta Peças de 54 Artesãos no Luxemburgo

4ª Edição da Bienal de Mains de Maîtres

Saber mais

23 27 nov.

"Produção artesanal portuguesa: a atualidade do saber fazer ancestral” abriu hoje ao público

Saber mais

22 27 nov.

Espaço Fazer Inaugura Oficinas Artesanais na Bienal do Luxemburgo

Saber mais

02 03 nov.

Congresso Internacional - A Salvaguarda do Património Imaterial: políticas e práticas para as próximas décadas

O Congresso Internacional - A Salvaguarda do Património Imaterial: políticas e práticas para as próximas décadas pretende assinalar os 20 anos sobre a aprovação da Convenção para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial da UNESCO e os 10 anos sobre a criação da Cátedra UNESCO em Património Imaterial e Saber-Fazer Tradicional: Ligando Patrimónios, sediada na Universidade de Évora.

Saber mais

19 21 out.

Laboratório de Intervenção Territorial | O Fio de seda: Saberes partilhados

A Direção-Geral das Artes, através do Programa Saber Fazer é coorganizador da iniciativa “O Fio de seda: Saberes partilhados” juntamente com o @Município de Castelo Branco.

Saber mais

17 22 out.

A Festa 20 anos da Convenção UNESCO | Portugal Imaterial

Para assinalar os 20 anos da Convenção para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial da UNESCO, que se comemora a 17 de outubro, a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) organizou a iniciativas “FESTA”, envolvendo membros da Rede Nacional do Património Cultural Imaterial e dinamizadores de dezenas de manifestações inscritas no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial (INPCI).

Saber mais

13 14 out.

Laboratório de Intervenção Territorial | Palitos de Lorvão: Saberes Partilhados

A Direção-Geral das Artes, através do Programa Saber Fazer é coorganizador da iniciativa “Palitos de Lorvão: Saberes Partilhados” juntamente com o Município de Penacova para a valorização e promoção do processo de produção artesanal de palitos de Lorvão

Saber mais

09 out.

Apresentação da exposição “Produção Artesanal Portuguesa"

Na próxima segunda-feira, 9 de outubro, será apresentada a Exposição "Produção artesanal portuguesa: a atualidade do saber fazer ancestral" que representará Portugal na 4ª edição da Bienal De Mains de Maîtres sob o tema O Gesto e o Território. A sessão, que decorrerá no auditório da Biblioteca Nacional de Portugal, às 14h30, contará com a presença da Secretária de Estado da Cultura, Isabel Cordeiro, do Diretor-Geral das Artes, Américo Rodrigues e do Comissário-Geral da Bienal, Jean-Marc Dimanche.

Saber mais