Saltar para conteúdo principal

Bunho

Material

Nome comum da planta

Bunho ou Buinho

Nome científico da planta

Ciperáceas - Schoenoplectus lacustris (L.) Palla subsp. lacustris / Nome antigo: Scirpus lacustris L.

Distribuição no território nacional

Em todo o território, com maior incidência no Centro e Sul do país. Surge em zonas húmidas e alagadiças, como riachos, lagoas, pântanos e pauis.

©DGARTES/Estúdio Peso/2022

O bunho é uma espécie de junco gigante, semelhante à espadana ou junco-das-lagoas, também conhecida por erva-de-esteira. Tem potencial ornamental pela sua corpulência, robustez e beleza das suas inflorescências. Contribui para o controle da erosão das zonas ribeirinhas e para a purificação da água.

Cresce em maciços densos, “nas margens e, mais raramente, nos leitos de lagoas, açudes, valas e cursos de água lênticos. Preferentemente em águas doces e permanentes." (Website Flora-On Portugal Continental). Erva vivaz, tem caules redondos, verdes, lisos e sem folhas. Pode atingir 3 metros de altura. Desenvolve-se em ambiente permanentemente inundado, mas também resiste a secas. As flores apresentam-se em conjuntos pouco densos de espiguilhas ovais de coloração vermelho-acastanhada, perto do topo dos caules. A floração acontece entre junho e setembro. A apanha ocorre nos meses de junho, julho e agosto, com a folha ainda verde.   

O bunho é ceifado com foices ou gadanhas. Após a ceifa, é espalhado no chão, onde seca ao sol, de ambos os lados, durante alguns dias. É escolhido e preparado em molhos atados com baraços, também feitos de bunho, ficando pronto para ser trabalhado pelo artesão. Durante a secagem não pode apanhar humidade ou chuva. A armazenagem deve ser feita em local bem seco, para que não ganhe bolor, uma vez que demora cerca de seis meses a perder a totalidade da água.

É essencial dominar o processo de secagem e saber reconhecer o ponto certo para que fique nem macio demais (o que dificulta a produção), nem demasiado seco (porque fica quebradiço e fere as mãos durante a produção). Depois de seco, o bunho tem uma degradação biológica natural lenta e as fibras resistem à tração durante vários anos.

  

Bibliografia

  • Águila Alonso, M. G. (2021). “Para una colaboración horizontal entre diseñadores y artesanos mexicanos” in Economía Creativa (14), 222-255. 
  • IEFP – Instituto do Emprego e Formação Profissional. (2013). Idades Entrelaçadas. Formas e memórias das artes de trabalhar fibras vegetais.
  • MURTEIRA, Jorge. (2022). Artisans' Voices #1 – Arménio Varela e a origem do mobiliário de Bunho. Vídeo: https://vimeo.com/721995858
  • O Bunho – Uma Homenagem ao Mestre. http://obunho.blogspot.com/ [Consultado em 14 de Novembro de 2022] 
  • SANTOS, Estrela de Assunção Branco dos. (2015). Os Artefactos em Bunho. Manufaturas Populares na Zona do Bairro Ribatejano. Santarém: Câmara Municipal de Santarém.
  • Esteiras de Bunho. Website da Câmara Municipal de Coimbra. https://www.cm-coimbra.pt/areas/visitar/ver-e-fazer/artesanato/esteiras-de-bunho [Consultado em 14 de Novembro de 2022] 
  • Schoenoplectus lacustris. In Flora-On Portugal Continental. https://flora-on.pt/?q=Schoenoplectus+lacustris [Consultado em 15 de Novembro de 2022]

galeria

pontos de interesse

Cerdeira Home for Creativity

Oficina

Lugar da Cerdeira Cerdeira

3200-509 Lousã

913 989 281

artsandcrafts@cerdeirahomeforcreativity.com

cerdeirahomeforcreativity.com 

Artur Guedes da Fonseca

Artesão

Secorio, Santarém  

Museu de Arte Popular

Museu

Avenida de Brasília

1400-038 Lisboa

213 011 282

geral@map.dgpc.pt

museuartepopular.wordpress.com

Manuel Maria das Neves Ferreira

Artesão

Santarém 

Museu Municipal de Santiago do Cacém

Museu

Praça do Município

7540-136 Santiago do Cacém

269 827 375

museu@cm-santiagocacem.pt

cm-santiagocacem.pt

FICA - Oficina Criativa

Oficina

Rua de Arroios 154B

1150-056 Lisboa

919 194 823

hello@fica-oc.pt

fica-oc.pt

saber mais

Rota: Mobiliário de Bunho

A arte de bem sentar.

Publicações